Histórico

O Santuário dos Beatos Manuel e Adílio - Paróquia Nossa Senhora da Luz

A HISTÓRIA DO SANTUÁRIO, SE UNE À HISTÓRIA DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA LUZ

Freguesia

Pela distância de Passo Fundo e por falta de condições oferecidas para a permanência dos sacerdotes em Nonoai, a Assembleia Provincial, através da Lei nº 925 de 3 de abril  de 1875, aprova a criação da Freguesia de Nossa Senhora da Luz de Nonoai.

Dom Sebastião andava desgostoso com a criação das paróquias e curatos por parte da Assembleia Provincial, sem consultá-lo e muitas vezes por interesses políticos eleitorais, apenas a 23 de Maio de 1876 a erigiu canonicamente, embora, no momento, faltasse sacerdote para provê-la.

O primeiro pároco foi nomeado em 1889, fins do Império pelo seu sucessor padre Tomas de Souza Ramos. Somente em Maio de 1889 Nonoai recebeu seu primeiro vigário residente, o padre João Peres Castanho que permaneceu por aqui apenas um mês.

A precária freguesia de Nonoai, ora pelo seu isolamento, ora por falta de recursos, não conseguia prosperar. Atendida pelo vigário de Passo Fundo em maio de 1890, ai estivera o padre Tomas de Souza Ramos, logo substituído pelo padre João Ferreira Guedes, vigário de São Sepé.

Felizmente em 1893, Nonoai teve vigário residente, o padre Manoel Zito, sacerdote Italiano, porém naturalizado brasileiro, o qual se empenhou em restaurar a vida religiosa e a igreja matriz, demorando-se o ano todo.

Neste mesmo ano ocorreu a sangrenta Revolução Federalista. Chimangos e Maragatos se digladiaram, houveram muitas mortes e torpes vinganças, muitos fugiram do massacre.

A Vila ficou em ruínas e semideserta. Padre Miguel Zito, que foi capelão militar e trabalhou em paróquias difíceis e extensas como Alegrete, São Luiz Gonzaga, Vacaria e Canguçu, portou-se com bravura, mas não pode após a revolução, manter-se em Nonoai.

Vinha então de Passo Fundo, de quando em quando, o padre Guedes, isso aconteceu até 1901, pois faleceu no ano seguinte, quando então os padres Palotinos assumiram a direção da paróquia de Passo Fundo. A primeira visita dos padres Pedro Winere e Valentim Rumpel a Nonoai aconteceu em 1903.

De 1908 em diante a Freguesia de Nossa Senhora da Luz passou a ser atendida pelo vigário de Palmeira das Missões, padre Frederico Blass, até meados de 1915, e em seguida, pelo seu sucessor padre Horácio Girardi.

Merece um Capítulo a parte o período entre os anos de 1915 até 1924,  vida e Morte do padre Manoel Gomez Gonzalez e do seu Coroinha Adílio Daronch. E de 1964 até os dias de hoje que compreende o período das Romarias.

Após os percalços e agitações sofridas, vamos ver que a partir de 1915, Nonoai começou a ter dias melhores quando recebe definitivamente seu pároco.

Quando a igreja pegou fogo

No dia 9 de julho de 1969, o choque, a tristeza e o desânimo tomaram conta dos fieis. Um incêndio inusitado destruiu a igreja matriz. Sobrou somente as paredes, mesmo assim abaladas pelo fogo. A única peça que restou intacta foi a urna onde estavam depositados os ossos do padre Manuel e do coroinha Adílio, envoltos em plástico, que estava úmido devido a alta temperatura durante o incêndio.

“O povo todo reunido em frente à igreja em chamas chorava, padre Miguel tentava entrar para salvar o Sacrário e os restos mortais dos Mártires. Os fieis que ali estavam o seguravam a força, impedindo que uma tragédia maior acontecesse, entre eles, estavam Fiorelo Dale Tese, Olmiro Sperry e muitos outros vizinhos e moradores. O sentimento era de emoção e tristeza, ao ver que padre Miguel não pouparia a própria vida para salvar o Santíssimo Sacramento que estava no altar em chamas e a urna dos restos mortais dos Mártires, que com tanto sacrifício foi trazida por ele de Três Passos. O Sacrário resistiu ao fogo, sem qualquer dano, permanecendo intacto, a urna onde estavam depositados os restos mortais dos mártires também”, conta Jacira Sodré com 12 anos na época.

De acordo com ela, o povo se questionava tentando entender como tudo havia acontecido inconformados, pois fazia pouco tempo que a igreja havia sido construída, nada explicava o fato.

“Era um sentimento de perda, pois a nossa história, nossas relíquias religiosas, havidas com grande sacrifício através de benfeitores e mesmo do sacrifício do próprio padre Miguel, que trabalhava incansavelmente para que Nonoai crescesse. Em tempos tão distantes de comunicações, de estradas sem asfalto para ele nada era difícil”, ressalta Jacira.

“Após a tragédia o padre Miguel não se abateu, imediatamente deu início a reconstrução da igreja, pede então ajuda financeira a Moisés dos Santos, Sestilo Sartoretto, João Sperry e Jacob Manfro, médico que trabalhava em Nonoai, que sempre colaboravam muito. E, nós jovens da época, formamos um grupo teatral, com o apoio da inesquecível irmã Angelina, ensaiamos e passamos a apresentar em Nonoai e Planalto, com apoio do pároco de lá, o saudoso padre Vitório, que muito nos ajudou, e assim conseguimos reunir uma importância, que foi repassada ao padre Miguel que ficou visivelmente emocionado. Mesmo sendo ele uma pessoa enérgica, era muito justo, bondoso e afável, com quem se aproximasse dele. Sempre construindo e pensando em Nonoai, ele dizia, não estou fazendo para mim,” expõe Jacira.

CARTÃO POSTAL DE NONOAI

Concluída a obra que contemplou livraria, secretaria e casa paroquial, iniciou-se em setembro de 2018 a obra de revitalização do Santuário, a conclusão que estava prevista para setembro de 2018 atrasou, ficando pronta recentemente, em janeiro de 2019, com investimento aproximado de R$ 1,1 milhão e totalmente paga.
Segundo registros nos livros de presença, um número significativo de visitas são realizadas ao Santuário, chegando a mais de 30 mil/ano, sem contar o público que participa das romarias, cuja média ano é de 40 mil pessoas, oscilando para mais ou para menos dependendo das condições climáticas nos dias do evento.
Em sua grande maioria os visitantes se deslocam dos estados do sul do país, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, mas também de diversos lugares do Brasil e até de outros países. Todos com um único propósito agradecer as bênçãos e graças recebidas e fazer seus pedidos e orações.
Levando em consideração este, entre outros fatores, o Conselho Paroquial com o apoio do cônego e ex-pároco, padre Valmor Tomasi, decidiram investir na revitalização do Santuário para bem acolher os paroquianos, visitantes e romeiros.
Em sua primeira etapa a obra contou com a substituição do telhado bastante deteriorado pela ação do tempo, que há mais de 50 anos não recebia nenhuma melhoria. As telhas de brasilit foram substituídas por telhas de aluzinco, uma nova proposta em coberturas, que traz vantagens como resistência, durabilidade, rápida montagem, formadas por um sistema integrado termoacústico e com isolamento térmico.

A segunda etapa foi a substituição do foro por gesso trabalhado, melhorando a qualidade e estética do Santuário. O terceiro passo foi a pintura interna, com objetivo de corrigir as infiltrações e dar mais vida ao Santuário e as pinturas sacras já existentes. Na sequência foram substituídos os vidros, por vitrais de acrílico coloridos com imagens dos Beatos e de Nossa Senhora da Luz, em toda a fachada do Santuário.
A obra contou ainda, com a pintura da parede externa, instalação de cúpula romana na torre e mais quatro cúpulas menores com uma cruz em cada, na extensão do Santuário. As portas foram substituídas por portas de madeira talhada.
Um grande calçadão em pedra basalto e detalhes em granito foi construído em frente ao Santuário onde as famílias poderão se reunir e também acomodará o povo durante as romarias.
Toda a rede elétrica foi substituída, foram instaladas lâmpadas de led, assim como o sistema de som.
O Santuário recebeu também um moderno sistema de climatização, os equipamentos foram instalados externamente e outra parte ficou escondida no foro de gesso. Os sinos foram revitalizados e um novo relógio foi instalado na torre.
Para a catequista Deise Capellari Fabrizzio, a revitalização do Santuário representa um marco essencialmente para a comunidade católica. “As mudanças proporcionam um ambiente acolhedor para os romeiros e devotos, que vêm em busca de conforto espiritual ou físico. Eu como cristã, catequista e fiel, participei de muitas atividades dentro do Santuário, e em cada detalhe restaurado encontro a marcante presença Divina. Que essa reforma estrutural possa também restaurar o coração de cada fiel, tornando o encontro com os Beatos, intercessores de Cristo, uma experiência de fé, amor e gratidão”, ressalta Deise.
“Essas melhorias e investimentos fazem parte da realidade do nosso Santuário. Tudo pensado e projetado com o objetivo de acolher os visitantes e romeiros da melhor forma possível”, conclui o ex-pároco padre Valmor Tomasi.
O ex-coordenador paroquial Leomar Pizzinatto, diz estar muito feliz pois era um sonho desde quando o padre Valmor chegou em Nonoai. “Além é claro de tantas outras que foram feitas, esta é a principal obra realizada, foi uma batalha nesses anos, mais com ajuda de todos se tornou uma realidade, a sensação que fica é a de missão cumprida. A comunidade gostaria dizer que continuem a ajudar e colaborar com nossa igreja católica, independente de quem for assumir o conselho, a sociedade é a mesma”, expõe.
Para o novo pároco padre Tiago Wollmann, cada igreja, capela, santuário, é o lugar sagrado de nosso encontro com Deus e, por isso, merecem respeito, veneração e serem cuidadas da melhor maneira possível. “Nossa comunidade paroquial, numa atitude generosa e bonita, se uniu no seu amor a Deus para cuidar de sua casa, através da obra de reforma de nosso Santuário, pois quem ama a Deus também zela e cuida de sua casa. Gostaria, em nome de todos os paroquianos, agradecer o empenho e dedicação do cônego Valmor neste trabalho de reforma e desejar a ele muitas felicidades em sua nova paróquia, em Alpestre. Enfim, a todos que contribuíram direta ou indiretamente, o nosso muito obrigado, com a bênçãos de nossos Beatos mártires Manuel e Adílio”, conclui o pároco.

 

Planeje sua Visita

CONTATO:

Aberto todos os dias das  06h30 até às 20h.

E-mail: visitas@beatosmanueleadilio.com.br

Fones.: (54) 3362-1284 -  (54) 3362-2516

Av Rocha Loires, 340 - Centro, Nonoai/RS

Planeje-se, agende e venha.

Uma história de fé

Agende sua visita ao Santuário dos Beatos Manuel a Adílio, Paróquia Nossa Senhora da Luz, para que possamos nos programar para lhe receber e atender com maior carinho e atenção!